19/09/2007

Coimbra...

Coimbra


A vida deu finalmente a volta ao contrário que eu há tanto tempo anunciava. Mesmo assim, a mesma vida que me trazia desprevenida. E vendo bem, não houve nunca forma alguma de estarmos preparados contra uma vida a fugir-se-nos do colo e a empurrar-nos para as decisões que só deveríamos saber tomar quando fossemos grandes. Mas eu não sou grande. E hoje estou a braços com um destinar demasiado corajoso para aquilo de que sou capaz.
Eu consegui o que queria. Foram três anos de uma interrogação extensa e demorada, de uma luta que não deveria ter levado tão a peito mas que deu frutos. Hoje sou estudante de Medicina e vivo a coisa como o despertar para uma vitória que outros tantos mereceram e não conseguiram. Mas eu consegui e parto, não tarda, para Coimbra. De braço dado com o Deus do meu mundo pequenino a jogar aos dados e a empurrar-me para longe de ti e de tudo o que é certo para mim. Coimbra. Coimbra, Coimbra, Coimbra. Todos me prometem um fundo nostálgico para os anos que serão os melhores da minha vida, apesar de tudo. E apesar de tudo, tu estás longe e eu não estou bem. E se não és tu que eu perco no meu novo céu, então sou eu que me perco nas ruas que descubro agora. As ruas de Coimbra.
E, sabes, peço, frequentemente e em segredo, para que o Deus do meu mundo pequenino me dê forças, porque, um dia, eu sei, chegarei a casa e quererei desistir. Tudo o que vejo é negro e chuvoso, tudo nevoeiro cercando uma vida que, de hoje em diante, é sozinha que se vê, na deriva de um universo de tradições, capas e batinas. Não foi isto que eu sonhei para mim. Mas é isto que tenho.
Hoje tudo é precário e vale mais que todas as palavras que te hei-de dizer na hora da despedida. Porque, afinal, não és o único que deixo para trás. Hoje, ainda em casa, tudo é seguro e esta falsa segurança quase me garante que vai correr tudo bem. Mas ambos sabemos que não, que nem tudo vai correr bem. Hoje tudo é uma contagem decrescente. Uma contagem decrescente para o primeiro dia do resto das nossas vidas.
.
Caso para dizer... se te perguntarem por mim, diz que Voei...

10 comentários:

Vanessa disse...

Fizeste-me recuar uns anos... esse sentimento foi-me familiar. Muito, muito familiar. Mas, no fim de contas, corre sempre tudo bem... Vais ver! :)

Beijinho enormeeeee*

A principio é simples, anda-se sozinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no borborinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado, que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que se leva a peito
bebe-se, come-se e alguém nos diz: bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso, por curto que seja
apagam-se dúvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar, sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E entretanto o tempo fez cinza da brasa
e outra maré cheia virá da maré vazia
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida.


:)

Andreia Ferreira disse...

A Vanessa já disse quase tudo. Resta-me desejar-te boa sorte e dizer-te que o que hoje te parece negro, daqui a uns tempos (poucos, vais ver)vai-te parecer o melhor período da tua vida. Garanto-te :)

Beijinho grande!

Filipe Oliveira disse...

voei...até Coimbra.

Croquete Recheado disse...

Parabéns. Sorte!

Pré-Doutora! :)

Ana Sofia Cavadas disse...

Olá Beatriz!

Hoje, começo o comentário com teu nome, porque, embora possa parecer estranho, tenho a sensação que te conheço. E é precisamente por esse motivo que essa promessa de um futuro que tens agora à tua frente me fez sorrir. Genuinamente. Percebo pelo que escreveste que é um futuro incerto e que, embora tenhas conseguido atingir um objectivo (um objectivo maior), o teu sonho não foi realizado na sua totalidade. Hoje, não te vou dizer que virão aí dias de muito sol e de muita luz. Penso que as palavras de reconforto de pouco servem quando tudo o que vemos está pintado em tons de cinzento. E ela vai cair. A chuva. Com toda a certeza. Vais sentir saudades de casa e daqueles que vais deixar para trás. Já passei pelo mesmo, apesar de a minha viagem ter sido do Porto para Lisboa. A verdade é que os primeiros tempos, sobretudo os primeiros dias, não foram fáceis. Mas o balanço que faço depois de ter estado um ano fora da minha casa e da minha cidade, fora do meu berço, é muito positivo. Porque, numa palavra, cresci.
Espero que tu também cresças. E que continues assim, a agarrar os sonhos pelos cabelos. Sem nunca os deixar fugir.

Sê feliz.

Um beijo do tamanho do mundo,

Sofia.

Bruna Pereira disse...

Vai correr bem... Vai correr tudo bem... Tudo.

:)

hora tardia disse...

mas espero sempre o teu regresso.


aqui.



beijos menina bonita


do Piano.

Mateso disse...

Tenho em mim a experiência de uma vida.. sois pequeninas avezitas que muito estrabucham no ninho mas qundo o têem que deixar tremem. Pois, minha querida não temas.. Há muitos anos, era bem jovem ... também parti para longe. E cresci não em altura mas em interior em mente. Chorei e ri, tropecei , caí e ergui-me. Depois vim para o mundo do trabalho mais rica, muito mais convencida e de novo aprendi. Uma vida a aprender não só nas linhas dos livros mas também no vento da vida. Vais fazer aquilo que quiseste.Vais ter tempo de interrogação, de desalento de solidão. Vais ter muito e pouco. Vais começar a ser mais, do que nunca,a sempre o vento da vida.
Um beijão de felicidades!

s. disse...

parabéns. e tal como a vanessa tão bem foi buscar: "hoje é o primeiro dia do resto da tua vida". aproveita bem.


beijo

Izabel disse...

Beatriz

descobri teu blog por um doce acaso e fiquei encantada!

vim pedir-te que não pares de escrever, pois as tuas palavras são fantásticas!

sorte na nova vida que em breve será absolutamente doce (já deve estar sendo).

izabel, do Brasil.