20/06/2007

"This years love had better last"



Convido-te a que te olhes ao espelho e que procures pelo teu dia seguinte. Ergue uma escada até ao topo da consciência reflexa que é a tua imagem. Descobre, de uma vez por todas, que és a consciência da tua imagem e que ages, por norma, como se tivesses a tua imagem por consciência. Uma mulher, esteja ela feita ou por fazer, tem uma memória demasiado grande para se esquecer das tantas vezes que te esqueceste dela. Das tantas vezes que a deixaste de plantão à espera de um abraço que nunca veio. Que a amaste e tiveste vergonha de prova-lo a ti próprio. Uma mulher, seja ela grande ou pequena, não precisa que a adores, nem sequer que te apaixones. Espera de ti apenas o mesmo que exige de si. Presença. Sentido de oportunidade. Principalmente, sentido de oportunidade. Lamento que venhas tão tarde para dizer que me adoras. Eu esperei a vida toda e hoje descubro que tenho ainda uma vida inteira pela frente. Tive medo da iminência das tuas partidas definitivas e, de repente, conquistei um lugar dentro do teu espaço. Inverti os nossos caminhos paralelos. Comecei a prever-te, a saber o que dizer. Comecei, acima de tudo, a desistir. E só, então, tu tiveste tempo e vagar para me encontrares. Quando, na verdade, eu estive sempre aqui ao teu lado.
Ouves esta música? Foi o primeiro motivo que me destes para desistir. Eu partilhava contigo o bocadinho de insuficiência que era e tu não notavas. Nem tu, nem mais ninguém - só ele. Só ele… Não podes, pois, fazer-me crer que ele só me trouxe mal, quando eu sempre te procurei a ti nos lábios dele e tu não me soubeste atender.
A vida é eterna em 5 minutos, sabes? Durante os meus 5 minutos. Os meus 5 minutos de eternidade quando olho para o relógio e reparo que tu não vens mais. Nunca mais. E ele, ele virá, porque ele vem sempre. Basta chamar. Mas tu não. Tu nunca vens. Tu escolhes os teus 5 minutos e reparte-los de forma a somares segundos perdidos nessa tua vida de intermitência e de amores adiados. Preciso que pares de ser apenas espírito e te tornes homem. Pelos menos, por 5 minutos. Durante os meus 5 minutos. Não importa o sítio. Por hoje até te deixo subir. Quero ter a certeza que por 5 minutos me pertences e que, ao me abraçares, é a mim que abraças e a mais ninguém.

10 comentários:

Pedro Pinto disse...

Estou preocupado contigo Bea...
Falamos assim que puderes e te veres livre desses estupidos exames.
Estou aqui para tudo está bem?
Diz-me por favor que estás bem...
Grande beijinho e um Abraço bem apertado.
*

Mateso disse...

Os cinco minutos...tão longos quando se espera pelo querer e tão curtos quando o querer passou...
Bj.

Unicus disse...

Bea, este texto poderia ter sido igualmente escrito por um homem.
Revela efectivamente uma pessoa madura, ponderada, sensata e apaixonada.
Mais uma vez nota 20.
Beijinhos

Abssinto disse...

Senti uma aflição, B. Gosto de textos que me fdaçam sentir assim, vivo.

bj

Anónimo disse...

um abraço....




ao de leve...mas mt mt disponível...





(piano)

Vanessa disse...

Já vim aqui (re)ler muitas vezes, mas não consigo comentar.

(...)

Deixo um beijinho grande*

PiresF disse...

Existem na nossa vida, factos, acontecimentos, circunstâncias, enfim, várias coisas - digamos assim -, umas relevantes outras nem por isso, mas que nos marcam.

Atreve-te a servir-te do teu próprio entendimento.

Enorme abraço.

Maite disse...

Cara Beatriz

É por esta forma tão feminina de exprimir o que uma mulher sente que acabo de a nomear para "Blog com Grelos".

Agora deixo-lhe a tarefa de nomear 5 blogs femininos e deixar uma nota no blog da Marta F., autora da iniciativa

Bjs e uma boa noite para si

borrowing me disse...

quero te deixar um grande abraço, bem sei que não preenche o de alguém, mas ocupa o espaço por momentos de vazio
bjs e bom domingo

Anónimo disse...

Atenção, respeito e consideração, nada mais... tão fácil...

Mas o marcante do texto é a confiança que se lê nas palavras, na reacção.

Excelente...

Respeitosamente,