07/12/2007

"Para ti, desde sempre,"

Acabou enfim... tu vieste e disseste de tua justiça, que há amores de uma neutralidade tão grande que se anulam indeterminadamente para serem de novo o pó de onde vieram... e hoje, nunca pareceu tão legitimo odiar alguém. E, sabes, tento convencer-me que melhor assim. Para ti, desde sempre.

Vieste e foste,
ignoro se poderás voltar. Ontem, ao partires,
não reparaste que me deixavas menos feliz. Embora
tudo ficasse feito e decidido não sei que incompletude me
abalou – talvez a espera.
Perdi-me absurdamente no caminho e, por momentos,
a luz libidinal do teu pensamento
fugiu de mim. As coisas deixaram
a concretude com que sempre as tinha conhecido.
Sem perspectiva, nem letra.
Ao regressar à terra, não quis escrever no teu caderno.
Arranquei-lhe apenas esta folha. Fui um pobre corpo.
Rasguei-me a mim próprio e quis deitar-me fora.
Por isso te deixo este bilhete.
Vieste e foste.
Não foi por isso que te amei menos.
Em mim, não se realizou a tua conjectura sobre a
ressurreição da carne ________
Reconhecerás tu, neste impulso da visão, uma carta de amor?
.
Maria Gabriela Llansol

7 comentários:

Filipe Oliveira disse...

É com palavras que começamos a amar.
São elas que nos falam,
que dizem quem somos.

silent disse...

o ódio dilui,
a vida segue
e o amor...
afoga.
tudo vira mais uma vez
o sangue
puro
vivo
a pulsar
em nossas veias.


mylifeonmute.wordpress.org

tb disse...

Só o amor prevalece, embora todos falem dele alguns sem saberem o que seja...
Vim depois de alguma ausência, deixar um beijo e um sorriso de estrelas brilhantes

Filipe Oliveira disse...

É com carinho que te desejo um Natal com muita Paz e muita Alegria.

Que 2008 te traga saúde em abundância, Sorte, Amor e muita Felicidade.

Bj

Mateso disse...

Bom Ano Novo. Que 2008 seja pródigo no que gostas, no que queres e no que te falta.
Bj.

hora tardia disse...

um abraço.









discreto. e um excelente ano de 2008.



(piano)

farfalla disse...

;)

gostei...flui...

_baci_